Coca-Cola lança refrigerante transparente de baixas calorias

A Coca-Cola lançou uma bebida transparente e sem calorias no Japão, apropriadamente chamada de Coca-Cola Clear, que começou a ser vendida no país ontem.

Inicialmente, a Coca-Cola Japão criou o conceito para atrair os consumidores japoneses que desejam bebidas novas e inovadoras durante o verão, e a bebida foi desenvolvida ao longo de um ano na sede da Coca-Cola nos EUA.

A bebida não possui os aromas de caramelo que criam a icônica cor preta / marrom das bebidas tradicionais da Coca-Cola, já que o ingrediente não pode ser usado para uma bebida transparente.

De acordo com a Coca-Cola, mais de 50 receitas diferentes foram testadas antes que a receita final da Coca-Cola Clear fosse formulada, e a adição de suco de limão permitiu a criação de uma bebida sem calorias capaz de equilibrar doçura e acidez para criar o gosto ideal.

A bebida também é embalada em garrafas transparentes de 500ml e 280ml, com rótulo transparente, para ressaltar que a nova bebida é completamente transparente.

Este novo lançamento é a mais recente inovação introduzida no país pela Coca-Cola, após a introdução da primeira bebida alcoólica da empresa no mês passado, bem como o lançamento das bolsas Coca-Cola Frozen e da Coca-Cola Peach no início deste ano.

Fonte: FoodBev Media

Fake News estão cada vez mais presentes na mídia

Ela está sendo disseminada com a velocidade que você levou para ler essa frase. A Fake News ganhou repercussão mundial quando foi apontada como artimanha na corrida eleitoral norte-americana em 2016, na qual, Donald Trump venceu a então favorita Hillary Clinton. Desde então, uma intensa investigação e debates surgiram na web e fora dela:

Existe alguma forma de conter a disseminação de matérias mentirosas na internet?

No Brasil, o debate ganhou impulso em uma matéria com quase 20 minutos de duração exibida dentro da revista eletrônica da Rede Globo, o Fantástico. Nela, o correspondente internacional Felipe Santana invocou pesquisadores, um praticante profissional da Fake News, acadêmicos e estudantes de universidades brasileiras e até o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, para falarem sobre o tema.

A importância dada ao assunto não é à toa. Quase todos que navegam com grande entusiasmo pela internet, desde redes sociais até sites de busca, já devem ter visualizado notícias curiosas e com forte apelo emocional ou político e tido vontade de ler e até compartilhar. Infelizmente, são poucos que checam as fontes da maneira correta, impulsionando ainda mais as postagens ilícitas.

Como a reportagem mostrou, as chamadas fake news são rapidamente compartilhadas e espalhadas, com a ajuda de robôs. Essa automatização faz com que notícias e informações falsas ganhem uma repercussão intensa, tal como uma notícia real quando viraliza na grande rede.

A matéria revelou que, segundo a Universidade de Oxford, mais da metade do tráfego da internet é feito por bots – programas que simulam ações humanas repetidas vezes e de maneira padrão. Dessa forma, esses bots são capazes de fazer um tema se transformar em tendência, espalhando boatos.

Todavia, os criadores da Fake News também tomam cuidados para mascarar ainda mais as mentiras, como copiar a estética de páginas que pareçam de portais de jornalismo profissional para, assim, abrigarem as falsas notícias.

Leis x censura

A questão da Fake News, além de polêmica, possui um viés delicado quando se propõe sua proibição. Afinal, qualquer medida radical para conter a livre disseminação de informação no ambiente virtual pode abrir precedentes para a censura. Pelo menos é isso que uma discussão no Congresso Nacional acabou concluindo.

No debate, foi apresentado um anteprojeto de lei para combater as Fake News. O texto estabelecia a retirada de conteúdo de sites, porém não mencionava a necessidade de autorização da Justiça.

Formado por representantes da sociedade civil, das empresas de rádio, televisão, imprensa escrita, entre outros, mas sem a participação de deputados e senadores, o Conselho de Comunicação Social do Congresso terminou preocupado com alguma ação contra a liberdade de imprensa.

O presidente do conselho, Murillo de Aragão, entregou uma nota técnica elaborada pela consultoria legislativa, autora do projeto, com um recuo em relação ao texto original. A retirada de qualquer conteúdo de fake news dependerá de decisão judicial, seguindo o que está previsto na lei.

APP pode ser fundamental para conter a Fake News

Não é à toa que a presença digital de meios de comunicação precisa, o quanto antes, ampliar a eficácia e chegar diretamente ao leitor que está sedento por informações de credibilidade. Para isso, investimento em serviços personalizados e com garantia que são de fonte primária, deveria ser prioridade no setor.

Essa é uma oportunidade de ouro para veículos de comunicação que são profissionais, ganharem de vez a credibilidade do leitor. Com essa grande disseminação de boatos, as pessoas tendem a buscar informações em portais que usem plataformas seguras e oficiais.

A Mundiware, empresa de tecnologia especializada em sistemas digitais para jornais, oferece a criação de apps ideais para a publicação e disseminação de postagens aos usuários. Isso garante ainda mais segurança e credibilidade para a empresa jornalística, além da possibilidade de aumento da audiência fidelizada.

O serviço FastNews, desenvolvido pela empresa, é ideal para o jornal ou revista apresentar conteúdo próprio e original de forma instantânea aos seus usuários. O aplicativo disponibiliza diversos benefícios para os leitores e ainda apresenta o push como ferramenta de acionamento para o leitor. Tudo prático e dinâmico, como a informação deve ser difundida em diversos dispositivos móveis

YouTube Acaba com a farra dos pequenos canais

O Google, acaba de informar, através de coletiva à imprensa que o YouTube sofrerá remodelações em seu programa de parceiros. A partir do dia 20 de Janeiro pequenos canais com poucos inscritos ou poucas visualizações, não serão elegíveis para monetizar os vídeos.

Até agora, qualquer canal podia monetizar os vídeos e o dono do canal podia receber desde alguns centavos até valores na casa do seis dígitos.

Com a nova determinação, apenas os canais com mais de 1000 inscritos e mais de 4.000 horas de visualizações nos últimos 12 meses terão direito a monetizar seus vídeos. Em uma conta rápida, chegamos a 11 horas de visualizações por dia. Assim, canais pequenos poderão continuar utilizando a hospedagem gratuita do YouTube sem, no entanto, receber nada pelas exibições.

Trabalho da Professora Priscila Escobar é selecionado entre os melhores em Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade de Taubaté acaba de publicar nota selecionando os melhores trabalhos apresentados durante o o VI CICTED – Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento.

Entre os melhores trabalhos consta o da Professora de Administração e Marketing do Centro Universitário Eniac, Mestranda na Unitau, Priscila Cristiane Escobar Silva.

Com a orientação da Dra. Letícia Maria Pinto da Costa, o trabalho, cujo tema é “As TIC na educação: concepções docentes e discente sobre as ferramentas digitais Google for Education” foi selecionado entre os melhores na categoria PP&I – Projeto de Pesquisa e Inovação

A premiação ocorrerá no Campus da UNITAU, no dia 30 de Novembro às 18:00.

Parabéns à professora Priscila de toda a equipe do Blog do Portal do Marketing

Professores de Marketing do Eniac são convidados a apresentar trabalho sobre Metodologias ativas em congresso de educação

Os professores  Daniel Portillo Serrano, Priscila Cristiane Escobar Silva e Renato José Fernando do Centro Universitário Eniac, em Guarulhos, tiveram seu trabalho baseado em metodologias ativas reconhecido e foram convidados a apresentar os resultados no ConProEduc –  I Congresso de Pós Graduação Stricto Senso Profissional em Educação Que terá lugar nos dias 21 e 22 de Setembro de 2017 em São Caetano do Sul.

O Congresso, Promovido pela Universidade de São Caetano do Sul – USCS apresentará trabalhos de pesquisa na área de educação de todo o Brasil.

O trabalho cujo tema é “Peer Instruction: Uma análise da eficácia da metodologia em cursos superiores da área de humanas” se baseou em pesquisa elaborada pelos autores durante as suas aulas para os cursos de Marketing e Administração de Empresas, entre outros no Centro Universitário Eniac.

Criada por Eric Mazur, a metodologia Peer Instruction é uma das inúmeras ferramentas que os professores, autores da pesquisa, vem utilizando em suas aulas na faculdade

Além dos professores do Eniac, também assinam o trabalho as pesquisadoras Doutoras Letícia Maria Pinto da Costa e Mariana Aranha de Souza, ambas da Unitau.

Apras realizará Workshop sobre Gestão de Categoria

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras), em parceria com a SuperHiper, realiza neste dia 18 de julho, das 8h30 às 13h00, na AMCHAM – CURITIBA (Rua João Marchesini, 139), um workshop sobre Gestão de Categoria (GC). A participação é gratuita e as vagas são limitadas.

Uma das palestrantes será a sócio-fundadora da consultoria Connect-Shopper e especialista no tema, Fátima Merlin. O gestor de Gerenciamento por Categoria e Pricing da rede paulista Lopes, Felipe Teixeira, também vai palestrar no evento e vai falar sobre o amplo e permanente trabalho de Gestão de Categoria realizado na rede.

Algumas indústrias que trabalham com GC também estarão presentes no evento, como a empresa Coty, de higiene e beleza, que vai apresentar exemplos de alguns casos da própria empresa e os resultados alcançados com as ações.

A Associação Brasileira de Automação, GS1 Brasil, vai abordar a importância dos padrões dos códigos de identificação (cadastro de produtos) para a melhora contínua e o controle da circulação de mercadorias.

Os interessados em participar do evento devem confirmar a presença com a Apras. Horário de atendimento: 8h30 às 12h e 13h às 18h – com a Jéssica de Melo, no telefone: (41) 3263.7000 ou e-mail secretaria@apras.org.br.